Cerveja só faz bem se bebida logo

Se você quer extrair alguns benefícios à saúde da cervejinha do fim de semana, o conselho da ciência é: olhe a data de validade e beba logo. Essa é a principal conclusão de uma pesquisa feita por Priscila Becker Siqueira, que acaba de concluir seu mestrado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). De acordo com o estudo, a maior quantidade de substâncias benéficas da cerveja está presente até 15 dias após a data de fabricação da bebida.

Segundo a Agência Fapesp, o trabalho de Siqueira se concentrou nas propriedades antioxidantes da cerveja, ligadas ao retardo do envelhecimento celular e à possível prevenção de doenças como problemas cardíacos e males neurodegenerativos. As principais substâncias da cerveja que fazem esse serviço são os compostos fenólicos, oriundos, no caso da bebida, do malte e do lúpulo.

Siqueira avaliou três marcas nacionais de cerveja e descobriu que elas continham cerca de 400 miligramas por litro de compostos fenólicos, contra 700 mg/l no suco de goiaba e até 2 gramas por litro no suco de uva. A pesquisadora testou as marcas de cerveja durante quatro meses, fazendo cinco análises bioquímicas diferentes a cada dez dias e avaliações de aroma e sabor.

A principal descoberta é que, até 15 dias após a data de fabricação, a cerveja perde 35% de seus compostos fenólicos. Ao longo dos seis meses seguintes (prazo médio de validade da bebida), somem mais 15% dos compostos fenólicos originais. A pesquisadora também verificou o aparecimento do famoso “gosto de papelão” — na verdade, causado pelo aumento da concentração de um aldeído (substância da mesma família química do formol) na bebida.

Além de tudo isso, vale sempre o aviso: beber só faz bem se for com moderação.

Fonte: G1

URL da Imagem do Autor: Webmaster

Compartilhe Este Artigo no

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *